No mês de junho o espetáculo Poeta que Pariu continua circulando por Londrina-PR. Nesta quinta-feira (11 de junho) às 19hs o espetáculo será apresentado dentro da programação do evento acadêmico “I CONGRESSO INTERNACIONAL DE POLÍTICA SOCIALSERVIÇO SOCIAL” promovido pela departamento de Serviço Social da UEL.(www.uel.br/pos/mestradoservicosocial/site/congresso/)

No sábado (13 de junho) às 18hs o espetáculo será apresentado na programação do DIA DE VISITASESCCADEIÃO com entrada gratuita. Ainda em junho no dia 25 de junho Poeta que Pariu será apresentado no SESI-ARAPONGAS.

Poeta que Pariu é fruto de um trabalho de composição cênico-musical que a Cia. Teatro de Garagem labora desde 2013, e que teve como mote primeiro as canções autorais de integrantes do grupo, e algumas intervenções teatrais surgidas no evento Não Estacione: Sarau na Garagem. A partir de um estudo cênico dessas músicas a dramaturgia do espetáculo foi se construindo e se ampliando sob influências múltiplas, tais como: observação de moradores de rua, poesias de grandes poetas/poetisas consagrados e de poetas/poetisas marginais do país, noticiais de jornais locais sobre intolerâncias, e vivências da militância do teatro de rua e da diversidade sexual em Londrina e no Brasil.

O poeta Pariu e nem viu quem coloriu. A policia tentou barrar o parido, mas as cores já haviam se dissipado por toda cidade. Sem seguir os antigos, mas sob o fundamento do tambô, a zuada já tá na rua, que é do povo e ninguém pariu. Nós do teatro cantamos com o pé essa narrativa que é viva por meio desse bando de gente que come poesia para arrotar canção. E nessa vida besta o corpo que faz festa concede as estes poetas caminhos a trilhar. E o sol com arco-íris a de brilhar mais uma vez em meio a fumaça das bombas que insistem em explodir. Quem tem fome de poesia bora chegar para oiâ! A Baronesa estará lá mais bela que framboesa, junte-se a roda que o teatro vai começar.

A montagem teatral ‘Poeta que Pariu’ tem criação coletiva do Teatro de Garagem, e o elenco do grupo é formado por: Danilo Lagoeiro, Everton Bonfim, Herbert Proença, Melissa Campos, Pedro Varanese e Rafael Avansini,além do técnico de som: Rafael Rosa. O apoio cultural é da Vila Cultural ALMA Brasil, do Centro Esportivo de Capoeira Angola (CECA)-Londrina, da produtora Cor da Terra e do grupo Elity Trans.