Cia. Teatro de Garagem estreia montagem de rua ‘Poeta que Pariu’ de 10 a 12 de dezembro (quarta-feira a sexta-feira)

O poeta Pariu e nem viu quem coloriu. A polícia tentou barrar o parido, mas as cores já haviam se dissipado por toda cidade. Sem seguir os antigos, mas sob o fundamento do tambô, a zuada já tá na rua, que é do povo e ninguém pariu. Nós do teatro cantamos com o pé essa narrativa que é viva por meio desse bando de gente que come poesia para arrotar canção. E nessa vida besta o corpo que faz festa empresta as estes poetas caminhos a trilhar. E o sol com arco-íris a de brilhar mais uma vez em meio a fumaça das bombas que insistem em explodir. Quem tem fome de poesia bora chegar para oiâ! A Baronesa estará lá mais bela que framboesa, junte-se a roda que o teatro vai começar.” — (Sinopse)

A Cia. Teatro de Garagem estreia nesta quarta-feira (dia 10 de dezembro) a montagem de rua Poeta que Pariu às 19hs na quadra em frente ALMA Brasil (Rua Mar Del Plata, 93 — linha de ônibus: 200). A temporada também prevê mais duas apresentações: dias 11 e 12 de dezembro (quinta e sexta-feira) na praça da Bandeira (ao lado da catedral) sempre às 19hs.
Poeta que Pariu é fruto de um trabalho de composição cênico-musical que a Cia. Teatro de Garagem labora desde 2013, e que teve como mote primeiro as canções autorais de integrantes do grupo, e algumas intervenções teatrais surgidas no evento Não Estacione: Sarau na Garagem. A partir de um estudo cênico dessas músicas a dramaturgia do espetáculo foi se construindo e se ampliando sob influências múltiplas, tais como: observação de moradores de rua, poesias de grandes poetas/poetisas consagrados e de poetas/poetisas marginais do país, noticiais de jornais locais sobre intolerâncias, e vivências da militância do teatro de rua e da diversidade sexual em Londrina e no Brasil.
A montagem teatral ‘Poeta que Pariu’ tem criação coletiva do Teatro de Garagem, e o elenco do grupo é formado por: Danilo Lagoeiro, Everton Bonfim, Herbert Proença, Melissa Campos, Pedro Varanese e Rafael Avansini. O apoio cultural é da Vila Cultural ALMA Brasil, do Centro Esportivo de Capoeira Angola-Londrina, e do grupo Elite Trans.

Espetáculo teatral:

Poeta que Pariu / Cia. Teatro de Garagem

Quando/Onde:

10 de dezembro (Quadra de esportes em frente a vila cultural Alma Brasil — (Rua Mar del Plata, 93)
11 e 12 dezembro na Praça da Bandeira (ao lado da catedral)

Em caso de chuvas todas as apresentações serão transferidas para Vila Cultural ALMA Brasil ((Rua Mar del Plata, 93 / Linha 200 do ônibus))

Horário:19h

Ficha Técnica

Elenco: Danilo Lagoeiro, Everton Bonfim, Herbert Proença, Melissa Campos, Pedro José e Rafael Avansini.
Figurino, Cenário e Direção: Criação Coletiva.
Design Gráfico: Daniele Stegmann e Isis Peixoto.
Fotógrafa: Jaqueline Vieira.
Dramaturgia: Texto criado pelo grupo, com colagens de textos de André Abujamra e Jô Bilac, bem como fragmentos do Manifesto da Antropofagia Periférica, de Sérgio Vaz, além de fragmentos de textos de Bashô e Maria Carolina de Jesus.

Músicas

Tambô Zuô”: Música popular de domínio público
“Nós do Teatro”: Música de Everton Bonfim e Miguel Matoso. Letra de Everton Bonfim
“Cinza Patrimônio Público”: Música e letra de Herbert Proença e Rafael Avansini
“Poeta da Fome”: Música e letra de Pedro José
“A Rua é do Povo”: Música e letra de Everton Bonfim